Como preparar a sua empresa para 2021

Este ano de 2020 trouxe o maior desafio que a economia mundial teve que enfrentar. Nenhum país nem nenhuma atividade económica deixou de sentir os efeitos da Covid-19.

O setor alimentar, embora tenha continuado a ter o seu mercado consumidor pois as pessoas têm que comer, não deixou de se ressentir, principalmente ao nível das empresas processadoras de alimentos.

Portugal não foi nem é exceção. Enfrenta, portanto, problemas iguais aos dos outros países.

Os principais desafios foram a reorganização funcional das empresas para reduzir a possibilidade de transmissão do novo corona vírus: desfasamento de horários, criação de circuitos internos diferenciados sem perda de funcionalidade, comunicação com fornecedores e clientes, logística de transportes, etc.

No que se refere a melhoramentos e novos investimentos: ampliações, melhorias tecnológicas e funcionais, novos produtos, etc., foram praticamente todos adiados em muitas empresas, perante a incerteza do futuro próximo.

Contudo, uma situação destas pode contribuir para repensar esse futuro.

Vai a empresa conseguir ultrapassar este período crítico tal como está?  Não será agora o momento de planear a sua estratégia para o curto e médio prazo? As suas instalações e equipamentos estão em condições de assegurar melhorias tecnológicas, ganhar funcionalidade, reduzir custos de operação?

Talvez seja altura de planear o futuro.

Porque devo investir num bom planeamento – Com que parceiros posso contar?

Investir num bom planeamento significa efetuar uma análise profunda das capacidades e limitações do estabelecimento industrial, tanto no que respeita às estruturas e equipamentos, quanto ao know how tecnológico, ou ainda aos recursos humanos e suas competências.

Esta análise pode ser feita apenas internamente, ou será necessário recorrer a empresas de consultoria com experiência?

Um bom planeamento deverá identificar o que é necessário fazer em cada uma das áreas acima definidas e deve assumir o estatuto de plano diretor, que sirva de guia ao desenvolvimento sequencial das ações a concretizar:

– é necessário introduzir melhorias tecnológicas nos processos e nos produtos? Então é indispensável ter Know-how.

– as melhorias tecnológicas e a inovação são compatíveis com os equipamentos instalados, ou requerem outros equipamentos? Então é necessário identificar o equipamento necessário e porventura apoiar na sua aquisição.

– é preciso intervir a nível das estruturas? – ampliações, novos setores, ou novas unidades fabris? Então é inevitável o desenvolvimento dos projetos.

– os recursos humanos são qualificados e suficientes para assegurar o funcionamento do que foi identificado no planeamento? Certamente será necessário o recurso à formação.

– a empresa tem recursos internos capazes de desenvolver o plano diretor e os projetos que dele resultarem? Muito provavelmente precisará de apoio de um parceiro experiente.

Muito frequentemente,

A Alicontrol é esse parceiro!

 

A importância da formação profissional em tempos de Covid-19

Em Dezembro de 2019 abriu-se a caixa de Pandora e o mundo foi confrontado com uma doença mortal e muito contagiosa que se dispersou a uma velocidade assustadora.

Em Janeiro de 2020 verificou-se em Portugal o primeiro caso suspeito e em Março o País deparou-se com algo inusitado. Fomos obrigados a parar grande parte da atividade económica, sem tempo para nos adaptarmos à nova realidade (ensino à distância, teletrabalho, etc.).

Os desafios encontrados pelas empresas foram e são muito diversos:

  • Desafios de trabalho
  • Desafios das soluções tecnológicas
  • Desafios de acesso ao mercado
  • Desafios para dar cumprimento às boas práticas e obrigações legais
  • Desafios de índole pessoal dos seus trabalhadores

No que diz respeito ao desafio do acompanhamento e desenvolvimento das pessoas, é essencialmente através da formação em e-learning que as empresas podem continuar a desenvolver as competências dos seus colaboradores e a cumprir as exigências legais ao nível da formação, nomeadamente da formação na área da Higiene e Segurança Alimentar, tão querida das empresas do setor da Agroindústria e na área da Higiene e Segurança no Trabalho, para o setor Agrícola e para a Indústria em todos os setores de atividade.

Por outro lado, as plataformas de formação online podem oferecer aos colaboradores uma sensação de normalidade e o enriquecimento das suas capacidades para os novos desafios que estamos e vamos enfrentar.

Assim, é fundamental continuar a promover o desenvolvimento do know how dos trabalhadores para se poder aumentar a produtividade e os resultados em tempos de grave crise económica.

Os sistemas de formação online podem ser muito eficientes pois salvaguardam totalmente o distanciamento social e aumentam o alcance da mesma a trabalhadores que noutras circunstâncias não poderiam comparecer na formação por motivos de incompatibilidade de horários com a atividade produtiva. Na verdade, estes sistemas reduzem quase por completo as limitações de espaço e disponibilidade das equipas, sem quaisquer disrupções na produtividade.

Por outro lado, as soluções das plataformas de formação online oferecem um sistema de aprendizagem com variedade de conteúdos e ferramentas que facilitam a compreensão e aprendizagem dos conteúdos que são necessários para permitir o desempenho competente e eficaz de cada função.

Fundada em 1990, a Alicontrol é uma empresa de consultoria no setor agroalimentar, tendo desenvolvido centenas de projetos de Indústrias de Transformação de Carnes, Matadouros, Salas de Desmancha, Indústrias de Padaria e Pastelaria e Pratos Cozinhados, Unidades de Preparação e Congelação de Pescado, Unidades de Produção de Conservas, Unidades Industriais de Hortofrutícolas (4 Gama) etc., num universo de 10 países. A sólida formação da Alicontrol, aliada à diversificada experiência do seu corpo técnico, permite-lhe conceber soluções únicas à medida da visão de cada cliente, característica diferenciadora dos serviços que presta e que são reconhecidos, pelos seus mais de 200 clientes.

A Alicontrol é também uma empresa de Formação Certificada para as áreas da sua competência, disponibilizando aos seus clientes:

  • Plataforma de formação funcional e customizada TOTALMENTE ONLINE;
  • Apoio administrativo ao processo;
  • Preparação da documentação da formação;
  • Entrega de certificado digital aos formandos.

A solução tem sido um sucesso e está a ser muito procurada desde que o mundo passou a ter as grandes limitações que conhecemos, no que diz respeito à proximidade das pessoas, e que não sabemos quando estarão ultrapassadas.

Coronavirus pode ser transmissível pela comida?

A ASAE através do seu Conselho Científico divulgou esta terça-feira um parecer oficial sobre o tema que preocupa a população mundial.

A pergunta que se impõe neste momento é:

Pode o novo tipo de coronavírus ser transmissível através da Comida?

Considerando todos os estudos científicos disponíveis até ao momento, “não existe evidências de qualquer tipo de contaminação através da ingestão de comida cozinhada ou crua”.

No entanto e aplicando o princípio da precaução, a ASAE informa que “o reforço das medidas de higiene e limpeza é altamente aconselhado porque as boas práticas reduzem claramente a concentração de vírus e diminuem eficazmente a probabilidade de contaminação”.

No caso de confeção e consumo de alimentos as medidas de higiene recomendadas são:

– Lavagem prolongada das mãos seguida de secagem apropriada recorrendo a papel descartável. (O fecho da torneira deve ser efetuado com o auxilio de um papel de utilização única).

– Desinfeção utilizando um produto apropriado para a indústria alimentar de todas as superfícies que entram em contacto com os alimentos, sendo elas utensílios, bancadas ou equipamentos.

– Evitar contaminação cruzada, isto é, entre comida crua e cozinhada.

– Cozinhar e empratar a comida respeitando as temperaturas ideais para a realização dessas tarefas.

– Não partilhar comida ou objetos entre pessoas durante a sua preparação, confeção e consumo.

“Em suma, não há evidência de que o novo tipo de coronavírus possa ser transmissível através da ingestão de comida, mas devem ser mantidas e reforçadas as medidas de prevenção de higiene pessoal e da cozinha seja em casa ou em contexto profissional.”

Poderá encontrar mais informação aqui.